+49 (0) 8677 - 2808

verwaltung@tv1868.de

TV1868 Geschäftsstelle Renate RoggerKathrin KnabMarianne Wimmer Öffnungszeiten: Montag - Freitag
08:00 - 12:00
Mittwoch
15:00 - 18:00
Abada Capoeira
Interesse?

Abada Capoeira

Ein wenig über uns

logo_henryWas ist Abadá Capoeira?

Capoeira verbindet die Eleganz des Tanzes und die Power des Kampfes durch akrobatische Elemente. Dieser brasilianische Kampftanz fördert  körperliche Fitness und vermittelt Rhythmusgefühl.

Capoeira entstand in Brasilien aus den Kampf- & Verteidigungstechniken der afrikanischen Sklaven. Sie tarnten ihren Kampf als Tanz und schufen so die Grundlage und Traditionen, aus denen sich die Capoeira entwickelte. Heute ist Capoeira brasilianischer Nationalsport und wird in unzähligen Akademien und Schulen in- und außerhalb Brasiliens unterrichtet. Capoeira ist Kampf- und Bewegungskunst mit Live-Musik, die mit typischen Perkussions-Instrumenten gespielt wird. Das Training steigert körperliche und geistige Fitness, stärkt das Selbstbewusstsein und verbindet.

capoeira

 

Interessierte sind jederzeit gerne zu einem Probetraining eingeladen! Kontakt über unsere facebook Seite: Abada Capoeira Burghausenhttp://www.abadaeventos.com/calendario-2016

Capoeira-Training in Burghausen

Freitags von 17.00 – 18:00
Training Kinder

Freitags von 18:00 – 20:00
Training Erwachsene Anfänger/Fortgeschrittene

Trainingsort

Turnhalle Kammererschule, Mozartstraße 8 a

Capoeira 2016-1Capoeira 2016-2CALENDARIO INTERNACIONAL ABADÁ CAPOEIRA 2016

Infos zu Workshop und Teilnahme im regulären Training.

De que jeito tocava seu Bimba  –  No dia que o Berimbau chorou  –  Chora Capoeira

Berimbau no roda tocou,

Berimbau no roda tocou, tocou Bermibau

Lembrando que a Capoeira

um dia ihe procurou

dizendo venha amigo,

me ajude pro favour

Lembrou o que respondeu

quando ela ihe Perguntou

Me disse conte comigo

onde estiver eu vou

Desse dia em adiante

Dela nao se afastou

e hoje toca lembrando

como tudo comecou

Lembra de cada barreira

que junto a ele enfrentou

em dada canto do mundo

que a capoeira levou

AREIA DO MAR

Areia do Mar

Titel: Historias de areia (areia do mar)
Author: Caxias e Pato

AREIA DO MAR
AREIA DO MAR
O QUE VOCE TEM
PARA ME CONTAR

ONDA QUE QUEBRA NA PRAIA
QUEBRAVA NO CASCO DO NAVIO
NAVIO QUE TROUXE DE ANGOLA
O NEGRO PARA O BRASIL

coro

VAGANDO SOBRE O MAR
CHEGAVA O TUMBEIRO
TRAZENDO NEGROS DE BATALHA
DE ESPÍRITO GUERREIRO

coro

DIA DOIS DE FEVEREIRO
A BAHIA ME CHAMOU
LAVAGEM DO BONFIM
CIDADE DE SALVADOR

coro

ME FALA DE PASTINHA
E DE BIMBA POR FAVOR
MESTRE PASTINHA NA MARINHA
MESTRE BIMBA ESTIVADOR

coro

AREIA QUE LEVA E TRAZ
HISTÓRIAS DA ALGIBEIRA
QUERO VISITAR O PERO VAZ
APRENDER A HISTÓRIA DA CAPOEIRA

Ó Luanda Luande

ó luanda luande

ó tinstinstins tinstinstins Luande

Tinstins tins do Berimbau

me leva para Luanda, quando eu fecho meus olhos, eu nao querao mais voltar…

Por que sera?

Por que sera

Por que sera, por que serva?

Que hoje o negro nao veio trabalhar?

Coro

Ja correr noticia

Houve morte em Palmares

Morreu o negro chamando Gangazumba

Ja correr noticia

Houve morte em Palmares

Matram o negro chamado Gangazumba

Coro

Naquele tempo nao existia a princesa

Nao havia poa na mesa

So tinha canavial

Era suor era sangue derramado

Era o trabalho dogro Dia e noite sem para

Por que sera

Coro

E hoje em dia

Depois do canavial

Tem o relogio de ponto

Que nao para de marcar

E se o negro ta doente

Enao consegue chegar

Seu patrao ou sinhoinho

Continua a perguntar

Berimbau de Mestre Valdemar

Berimbau de Mestre Waldemar

E, lê, lê, lê, lê, lê!
E, lê, lê, lê, lê, lê!
Lê, lê, lê, lê, lê, lê!
Lê, lê, lê, lê, lê, lê!
 

E, lê, lê, lê, lê, lê!
E, lê, lê, lê, lê, lê!
Lê, lê, lê, lê, lê, lê!
Lê, lê, lê, lê, lê, lê!

Eu fui na Bahia pra tocar
Berimbau de mestre Waldemar
Eu fui na Bahia pra tocar
Berimbau de mestre Waldemar
Eu fui na Bahia pra tocar
Berimbau de mestre Waldemar

Minha viola
Que eu não canso de tocar
Quando bate uma saudade
De mestre Waldemar

Eu fui na Bahia pra tocar
Berimbau de mestre Waldemar
Eu fui na Bahia pra tocar
Berimbau de mestre Waldemar
Eu fui na Bahia pra tocar
Berimbau de mestre Waldemar

Cada toque um lamento
Parecia solidão
Waldemar levando a vida
Como um simples artesão

Eu fui na Bahia pra tocar
Berimbau de mestre Waldemar
Eu fui na Bahia pra tocar
Berimbau de mestre Waldemar
Eu fui na Bahia pra tocar
Berimbau de mestre Waldemar

E hoje eu digo a vocês
E recordo a todos nós
Que quem tem um berimbau
De Waldemar é o Boa Voz

Eu fui na Bahia pra tocar
Berimbau de mestre Waldemar
Eu fui na Bahia pra tocar
Berimbau de mestre Waldemar
Eu fui na Bahia pra tocar
Berimbau de mestre Waldemar

So restaram umas histórias
Que o tempo não apaga mais
Cantando na Liberdade
E também na Pero Vaz

Eu fui na Bahia pra tocar
Berimbau de mestre Waldemar
Eu fui na Bahia pra tocar
Berimbau de mestre Waldemar
Eu fui na Bahia pra tocar
Berimbau de mestre Waldemar

E, lê, lê, lê, lê, lê!
E, lê, lê, lê, lê, lê!
Lê, lê, lê, lê, lê, lê!
Lê, lê, lê, lê, lê, lê!

E, lê, lê, lê, lê, lê!
E, lê, lê, lê, lê, lê!
Lê, lê, lê, lê, lê, lê!

Lê, lê, lê, lê, lê, lê!

Vou esperar A Lua voltar

Vou esperar A Lua voltar

Vou esperar a lua voltar
Eu quero entrar na mata ê
Eu vou tirar madeira boa
pro meu berimbau fazer

Madeira boa e como amizade
e dificil de encontrar
Amizade eu guardo no peito
e da madeira eu faço meu berimbau
Coro
A noite chega eu entro na mata
Lua clareia pra eu procurar
Jequitiba e maçaranduba
o gutambo eu devo achar
Coro
Se Mestre Bimba estivesse aqui
pra me ensinar escolher madeira
Eu enrava agora na mata
tirava ipe e pereira
Coro
Na velha África se usava o ungo
Nas grandes festas religiosos
O ?quijenge? no dialeto imbundo
é o berimbau que conquistou o mundo

Besouro Manganga

Besouro Manganga

Besouro Mangangá

Besouro Mangangá

Besouro Mangangá

Besouro Mangangá

Besouro Mangangá

Cidade de Santo Amaro

Terra do Maculelê

Viu os Mestres Popo e Vavá

E viu Besouro a nascer

Coro

Besouro cordão de ouro

Manoel Henrique Pereira

Desordeiro pra polícia

Uma lenda pra capoeira

Coro

A lenda diz que Mangangá

Também sabia voar

Transformando em besouro

Pra da polícia escapar

Coro

Mataram Besouro Preto

Não foi tiro nem navalha

Com uma faca de tucum

Na velha Maracangalha

TEM DENDÊ

Tem Dende

Dendê ô dendê

Dendê ô dendê

Tem dendê na capoeira

na defesa e no ataque

Tem dendê no berimbau

e tem dendê no atabaque

Coro

Capoeira que não treina

como quer se graduar

nesse jogo de dendê

a corda não vai jogar

Coro

Sem dendê não tem tempero

Não tem fungi pro senhor

fuba de milho amarelo

não é fuba de bombo

Coro

Simba só vai cozinhar

se tiver oleo de palma

pra fazer um bom manjar

todo mundo bate palma

Coro

Moleque foi lá na praça

Buscar dendê pra sinhá

O dendê ele não achou

capoeira foi jogar

Coro

Capoeira Abadá:

Vou lhe dizer o que me alegra numa roda de Capoeira
Quando eu começo a tocar
Três berimbaus
Gunga, Médio e uma Viola
Atabaque e um pandeiro
E dois cabras pra jogar

Capoeira Abadá

Vou jogando Capoeira
Até o dia clarear

Capoeira Abadá

Se você é Capoeira
Nunca pare de treinar

Capoeira Abadá

Cante um corrido
Um coro bem respondido
Uma energia imensa
Que parado não vai dar

Capoeira Abadá

De segunda a sexta-feira
Tem roda na Humaitá

Capoeira Abadá

Capoeira que é bamba
Joga em qualquer lugar

Capoeira Abadá

Um jogo duro
Uma armada e uma ponteira
Meia-lua e uma rasteira
Continue a jogar

Capoeira Abadá

Se você é Capoeira
Nunca deixe de treinar

Capoeira Abadá

Joga em cima joga embaixo
No que o berimbau mandar

DENDÊ MARÉ

Ê aê aê aê, dendê maré
Ê aê aê aê, dendê maré

Quando a maré tá baixa
Dá pro capoeira remar
Mas quando a maré tá alta
Aí que o barco não pode virar

Aguenta firme capoeira
Tem correnteza querendo te derrubar
Mas não consegue sem ter sangue de Zumbí
E a força de Besouro Mangangá

A vida é como a capoeira
Quem ganha também pode perder
Mas são como os tombos da vida
É aí que faz o homem crescer

O berimbau tem que ter um tocador
O tocador toca com seu coração
Levando para sua vida inteira
Mestre Bimba como sua inspiração

Abadá-capoeira (Lagartão)
 
Em noite de lua cheia
Sinto o corpo arrepiar
Vejo o convento da Penha
E também a beira mar
Vejo a Ilha de Vitória
De tudo quanto é lugar
Também vejo a capoeira
A roda vai começar
Meu coração está batendo
Com vontade de jogar
É que eu sou capoeirista
Sou do Grupo Abadá
Abadá Abadá Capoeira Abadá
 
 
Lêlêlê lêlêlê lêlêlê lálálálá